As negociações do petróleo nas duas principais praças financeiras de transacção da commodity (Londres e Nova Iorque), esta semana, seguem a tendência de incerteza e algum pessimismo.
As entregas para Setembro, desta semana, mantêm os receios e o sobe e desce que, ultimamente, caracteriza as operações.
O barril de petróleo Brent, petróleo que serve de referência às exportações de Angola, abriu nesta quarta-feira (12) em alta no International Exchange Futures (ICE) de Londres, cotado a 48,36 dólares, uma variação de 1,7 por cento em relação ao fecho de terça-feira, período que esteve cotado nos 47 dólares e com uma variação de 0,25 por cento comparativamente a fecho de segunda-feira.
No início da semana, isto na segunda-feira, o barril iniciou as transacções nos 47,04 dólares, mas fechou nos 46,71.

Movimentações na Opep
A Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e os países produtores, que se comprometeram a reduzir a produção para aumentar os preços, têm uma reunião no próximo dia 24, em São Petesburgo, na Rússia.
“A questão é saber o que a Opep vai fazer nessa reunião, que vai verificar se todos repeitaram as cotas de produção, disse James Williams da WTRG Economics.
Durante o encontro também se vai examinar o panorama da Nigéria e Líbia, que são membros da Opep, mas foram retirados das cotas por causa dos conflitos internos que os dois países enfrentam e q ue at´+e certa data os impedia de produzirem dentro dos níveis fixados pelo cartel.
Por outro lado, o Catar, que rompeu as relações diplomáticas com os países vizinhos, deu sinais de que ficará
dentro do acordo do Opep.
“É difícil dizer em que medida essa declaração se deve ao conflito diplomático com seus vizinhos, mas deu confiança aos investidores”, contou Chris Beauchamp, analista do IG.