A semana começou mais optimista para as negociações do brent, petróleo referência às exportações angolanas, para entrega em Setembro.
O barril teve uma alta acentuada, fixando-se nos 49,74 dólares, números mais amigos, pois contra a perspectiva do ideal de 60 dólares, um mal menor é o preço de 50 dólares pelos 126 litros de que se constitui o barril.
Na quarta-feira, o barril de petróleo brent para entrega em Setembro abriu em baixa no International Exchange Futures (ICE) de Londres, cotado a 48,70 dólares, numa variação negativa de 0,28 por cento em relação ao
fecho de terça-feira (48,84).

Cenário desfavorável

O cenário de há três meses era bem mais favorável.
Em Abril, por exemplo, as encomendas petrolíferas para entrega em Junho eram operadas num preço por barril
superior a 55 dólares.
Depois de um período de certa instabilidade, devido ao elevado estoque dos Estados Unidos da América (EUA), o barril do brent valorizava-se acima até dos 49 dólares em que estava ser negoceado nos meses de Fevereiro e Março.
Nesta altura, conforme avaliação dos analista de mercado, sobretudo os da Bloomberg e Investing.com, a contra-medida de prosseguir com a redução das quantidades de oferta, acertada pela Opep estavam a surtir os efeitos desejados.
Passadas pouco menos de duas semanas, o custo do barril do brent escalara os temíveis 49 para 51 dólares e desta cifra para os 53, 54 e depois para os 55,25. Ainda nesta semana, o preço do barril chegou aos 56,38 dólares.
Angola alinhou no Orçamento Geral do Estado (OGE) 2017 um preço médio por barril de 46 dólares.