No recente “Africa Summit 2018”, que teve lugar nos dias 7 e 8 deste mês, em Londres, subordinado ao tema “Africa Means Business”, organizada pelo jornal Financial Times, o governador do Banco Nacional de Angola (BNA), José de Lima Massano, mais uma vez fez diplomacia, explicando aos parceiros internacionais o novo quadro e o ambiente monetário-cambial do país.
No painel dedicado a Angola, José de Lima Massano abordou os desenvolvimentos recentes da economia nacional, destacando os avanços mais relevantes no âmbito da implementação do Programa de Estabilização Macroeconómica, com ênfase nos domínios da política monetária e cambial e da organização e funcionamento do sistema financeiro.
De acordo com o que publicou o BNA na sua página de internet, o governador mencionou a adopção de regras mais eficazes de monitorização da banca, anunciando a realização de nova avaliação à qualidade dos activos dos bancos comerciais, que poderá induzir à consolidação da banca por necessidade de adequação de capitais.
À margem do evento, José de Lima Massano reuniu com operadores do mercado financeiro de Londres e investidores com interesse em África, em eventos organizados pela Chatam House e Africa Investors, tendo-se destacado as acções em curso que visam a melhoria do ambiente de negócios e o compromisso de estabilidade do sistema financeiro, incluindo o reforço do quadro normativo e operacional de combate ao branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo.
Anteriormente e nos EUA, José Massano também reuniu com vários bancários e potenciais correspondentes, para os fazer ver o novo quadro operacional e um eventual regresso ao mercado nacional.