Sentar-se num carro dirigido por um software pode não ser a experiência mais tranquilizadora para quem já está acostumado a trafegar no trânsito caótico das grandes cidades. Mas carros autónomos têm sido alvo de grandes investimentos por parte das empresas. A Tesla é quem mais se destaca, tanto montadoras quanto as que oferecem alternativas como serviço, a exemplo da Uber.
Para isso se viabilizar, outras tecnologias periféricas deverão ser desenvolvidas, como a detecção de objectos, visão de máquina, por exemplo. A Nvidia, fabricante de chips e placas gráficas, anunciou recentemente uma parceria com a Volkswagen e com a Uber para o desenvolvimento de carros autónomos. Com o lançamento da Byton, marca de veículos criada para concorrer com a Tesla, devemos ver uma competitividade acirrada no sector o que irá levar a soluções cada vez melhores.