A Caixa Geral de Depósitos (CGD), a Sonangol e os investidores angolanos José Mosquito e José Freitas já receberam "luz verde" do Banco Nacional de Angola no sentido de formalizarem a entrada, directa ou indirecta, no capital do Banco Totta de Angola.

Obtida a autorização, só falta a celebração dos contratos para que o negócio seja concretizado, à semelhança do que aconteceu na terça-feira com a compra pela Unitel de 49,9% do Banco de Fomento ao BPI.

A efectivação do acordo, no âmbito do qual o Santander Totta deixa de controlar 100% da instituição angolana, deverá ocorrer entre hoje (11) e amanhã (12). É para esse efeito que os presidentes da Caixa, Fernando Faria de Oliveira, e do Santander Totta, Nuno Amado, estão em Luanda desde o início da semana.