Angola foi o principal fornecedor de petróleo da China em Setembro, com uma quota de 13 por cento do total das compras de crude do gigante asiático, que se fixou nos 8,1 milhões de barris por dia, seguida do Iraque e da Rússia, ambas com 12 por cento.
Os dados foram esta semana lançados pelo relatório mensal da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP).
“Só as exportações angolanas de petróleo com destino à China aumentaram 250 mil barris por dia em Setembro”, lê-se no comunicado da Opep.
Por outro lado, o relatório da Opep avança que a Nigéria destronou, em Outubro, Angola como maior produtor africano de petróleo, ao fim de sete meses de liderança, devido à diminuição, no espaço de um mês, de 165 mil barris de crude por dia na produção angolana. No mês passado, a descida na produção angolana fora fixada em 1,586 milhões de barris/dia.
Já a Nigéria garantiu em Outubro uma produção diária equivalente a 1,628 milhões de barris de petróleo. O país começou 2016 – e como nos acumulados de anos anteriores – a liderar a lista africana, com 1,853 milhões de barris diários, contra os 1,742 milhões de Angola, mas viu a produção descer até aos 1,444 milhões em Maio, o valor mais baixo do ano, segundo a Opep.