O administrador Executivo da Comissão do Mercado de Capitais (CMC), Mário Gavião, assumiu as funções de presidente nos termos do Art.º 12º do Estatuto Orgânico da CMC, que determina que “em caso de impedimento ou vacatura do cargo, exerce os poderes do presidente da CMC, o administrador mais antigo ou, em igualdade de circunstâncias, o mais velho.”
Mário Edison Gourgel Gavião assume, transitoriamente, até a nomeação e tomada de posse do novo presidente da CMC, o cargo de presidente interino em substituição de Vera Daves, que tomou posse a 13 de Outubro, para o cargo de secretária de Estado das Finanças e Tesouro do Ministério das Finanças, cessando as funções de presidente da Comissão do Mercado de Capitais (CMC), que exerceu desde Outubro de 2016.O actual Conselho de Administração da CMC foi nomeado em 29 de Setembro de 2016 para um mandato de cinco anos, através do Decreto Presidencial n.º 207/16.
De acordo com o seu manuel de Cultura Organizacional, a CMC tem um compromisso com Angola. Todas as acções realizadas têm reflexo sobre o sistema financeiro e, consequentemente, sobre a economia nacional. Nela, cada um dos colaboradores deve ter, em permanência, consciência deste facto. O Manual de Cultura Organizacional é um instrutivo que tem o objectivo de sedimentar os princípios e as práticas que conduzam a uma conduta individual e colectiva compatível com as responsabilidades da CMC.
No seu plano estratégico 2017–2022, a CMC pretende dar continuidade ao trabalho com vista ao aprimoramento dos segmentos, instrumentos e mecanismos criados entre 2012 e 2014.