A Comissão do Mercado de Capitais (CMC) realiza desde a última quarta-feira, até hoje, 1 de Fevereiro, o sétimo Encontro Anual de Quadros, em Luanda.
O evento tem como tema central “O Mercado de Capitais: uma Realidade Irreversível” e visa captar, da parte dos colaboradores da CMC, contributos e reflexões sobre os diversos temas em análise, através de discussões abertas, interactivas e multidisciplinares, conducentes à materialização das medidas e acções previstas no plano de acção para 2019, bem como, na estratégia de actuação da instituição para o período 2017-2022.
O presidente da CMC, Mário Gavião, salientou recentemente que depois da emissão e admissão à negociação, na BODIVA, das primeiras obrigações corporativas, emissão que constitui um sinal inequívoco de confiança no mercado de capitais angolano, como fonte complementar de financiamento das empresas, espera a implementação, para breve, do programa de privatizações de empresas do Estado por via da Bolsa de Valores, que sucederá a aprovação da revisão da Lei de Privatizações, bem como, a abertura de capital de empresas privadas para a materialização do mercado regulamentado de acções.
Numa altura em que a Bolsa começa a representar um novo paradigma na gestão das empresas angolanas, abre-se uma grande oportunidade para melhorar a competitividade da economia nacional, atraindo capitais estrangeiros. Os quadros da CMC discutem, num clima de reforço da cultura organizacional, temas que visam atingir este fim.
Com uma equipa de jovens nacionais oriundos das universidades angolanas e do estrangeiro, a CMC é a aposta, nos últimos anos, do Ministério das Finanças que quer materializar, em breve, a concretização da Bolsa de Valores de Angola.

Taxa básica de juros fixada nos 15,75 por cento ao ano pelo BNA

O Comité de Política Monetária do Banco Nacional de Angola (CPM/BNA) decidiu, recentemente, em reunião pela redução da Taxa BNA para 15,75 por cento. No mesmo encontro, orientado pelo governador José de Lima Massano, foi também decidido que se mantivesse inalterada a taxa de juros da Facilidade Permanente de Absorção de Liquidez em 0,0 por cento e os coeficientes das Reservas Obrigatórias em moeda nacional em 17 e 15, em moeda estrangeira.
Estas decisões foram sustentadas pelo facto da inflação homóloga ter tido uma trajectória decrescente no ano de 2018, bem como pela evolução da Base Monetária, variável operacional da política monetária, que contraiu 10,71 por cento nos últimos 12 meses.
No mês de Dezembro de 2018, o Índice de Preços do Consumidor Nacional (IPCN) registou uma variação mensal de 1,41 por cento e uma variação homóloga de 18,60. Por sua vez, o Índice de Preços do Consumidor na província de Luanda registou uma variação anual de 18,21.
Nos meses de Novembro e Dezembro de 2018, transaccionou-se no mercado monetário interbancário um fluxo total de kz 638,97 mil milhões. A LUIBOR, na maturidade overnight, situou-se em 16,75 por cento, o que representou uma diminuição de 1,02 p.p. face ao nível em que se encontrava no início do ano (17,77%).
O agregado monetário M2 em moeda nacional, que congrega a totalidade dos depósitos bancários em moeda nacional e as notas e moedas em poder do público, registou uma variação positiva, tendo passado em Novembro de kz 4,36 biliões para 4,50 biliões em Dezembro de 2018, o que corresponde a um aumento de 3,10 por cento. Nos últimos 12 meses, este indicador variou negativamente em 0,52.
O stock do crédito em moeda nacional registou uma expansão de 0,50, face à contracção de 0,42 no mês de Novembro. Nos últimos 12 meses, cresceu em torno dos 20,16 por cento.
Nos dois últimos meses do ano de 2018, o BNA vendeu o montante de 2,2 mil milhões de dólares aos bancos comerciais, contra 1,5 mil milhões, no mesmo período do ano anterior. Em termos acumulados de 2018, o BNA vendeu 13,5 mil milhões contra 12,2 mil milhões, o que representou um aumento de 10,25 por cento.
As Reservas Internacionais Brutas situaram-se em 16,16 mil milhões de dólares em Dezembro de 2018 contra 18,23 mil milhões em Dezembro de 2017, representando um grau de cobertura de importações de bens e serviços de 6,8 meses.
A próxima reunião ordinária do Comité de Política Monetária do BNA realiza-se no dia 28 de Março próximo.