A Ferrangol e a General Mining vão explorar em conjunto o minério de cobre na província do Cuando Cubango. O projecto de prospecção de cobre nos municípios de Menongue e Cuchi foi apresentado oficialmente segunda-feira aos membros do governo da província, pelos técnicos do Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos. O projecto que vai abranger uma área de 505.516 hectares, está avaliado numa primeira fase em cerca de 5 milhões de dólares e vai ser executado pela empresa chinesa “General Mining” que é a parte investidora em parceria com a concessionária Ferrangol, como representante do Governo angolano. O administrador da Ferrangol para a área de prospecção e produção, João Chimuco, disse que os trabalhos de pesquisa vão arrancar nos próximos dias e tem como objectivo principal efectuarem-se estudos topográficos, geofísico e químico, para a confirmação ou descoberta de minas de cobre. Acrescentou que geralmente trabalhos de prospecção podem decorrer num período de dois a dez anos, mas os técnicos da Ferrangol vão envidar maior esforço para que dure menos tempo. João Chimuco fez saber que a Ferrangol no projecto de prospecção de cobre nos municípios de Menongue e Cuchi tem como principal papel dar o suporte técnico em função da sua experiência de pesquisa e produção de recursos minerais. Realçou que a prospecção vai abranger um levantamento profundo das minas de cobre existentes nos municípios de Menongue e Cuchi, tendo em conta que são localidades que têm grande potencial no sector mineiro de acordo com a carta de recursos minerais de Angola. João Chimuco disse que o trabalho de prospecção prevê numa primeira fase gerar 25 postos de trabalho directos, um número que vai aumentar de acordo com os resultados que se vão obter no local. “Urge a necessidade da população residente nas áreas que abrangem o projecto de prospecção, participar activamente para o êxito deste trabalho que será uma mais-valia para o desenvolvimento socioeconómico do Cuando Cubango”, defendeu. João Chimuco sublinhou que a efectivação da exploração de cobre na província vai gerar muitos postos de trabalho, aumento de receitas para os cofres do Estado, promoção da inclusão social, reduzir o nível da desigualdade das assimetrias regionais, melhorar a qualidade de vida da população, suprir as necessidades da obtenção deste minério, entre outros benefícios. O administrador da Ferrangol para a área de prospecção e produção fez saber que o cobre é usado fundamentalmente na indústria eléctrica e electrónica, para o fabrico de diversas matérias-primas.

Os caminhos viram-se para o Cuando Cubango

O director nacional dos recursos minerais, André Neto, disse que o projecto nos municípios de Menongue e Cuchi enquadra-se no plano de desenvolvimento do sector mineiro para o quinquénio 2017/2022, com o objectivo de diversificar a economia do país.
André Neto afirmou que o Cuando Cubango é uma das províncias de Angola que tem muitos recursos minerais, mas que numa primeira fase devem ser realizados estudos de prospecção para se saber a sua real localização, quantidade e qualidade, para que sejam devidamente explorados.
Referiu que segundo grandes teóricos, em 100 projectos de prospecção pelo menos dez viram minas de exploração.
“Por este facto, a Ferrangol em parceria com a empresa General Mining vão fazer o levantamento do cobre existente em Menongue e Cuchi para saber-se até que ponto este mineiro pode ser utilizado no sector industrial”, disse.
       André Neto disse que a província do Cuando Cubango tem uma grande vantagem para o sector mineiro, tendo em vista o Caminho-de-Ferro de Moçâmedes (CFM) para facilitar a transportação ou o escoamento dos produtos mineiros que serão explorados.
Segundo o director nacional dos recursos minerais, muitos projectos a nível do país têm registado problemas na sua implementação plena, devido à falta de meios para o seu escoamento, o que não vai acontecer com o Cuando Cubango por ter o grande privilégio de contar com a circulação do comboio que chega até ao porto do Namibe, passando pela província da Huíla.
André Neto aproveitou a ocasião para pedir apoio ao governo da província e em particular às autoridades tradicionais, para que possam sensibilizar a população a fim de que os trabalhos decorram sem sobressaltos.