A cidade de Mbanza Kongo, capital da província do Zaire, vive há cinco dias, uma gritante falta de combustíveis situação que está a criar sérios constrangimentos na circulação de automóveis.
Viaturas imobilizadas na via pública, bombas de combustíveis às moscas, pessoas a percorrerem longas distâncias a pé e o preço do táxi alterado de 100 para 250 kwanzas é o cenário que se vive nos últimos dias na capital do antigo Reino do Kongo, tudo por falta de derivados do petróleo, principalmente o gasóleo e a gasolina.
Muitos taxistas e moto-taxistas que estão a adquirir o combustível (gasolina) no mercado informal a preço de 500 kwanzas o litro, estão a encurtar as rotas, complicando ainda mais a vida aos cidadãos.
Desde o princípio deste mês de Março que a cidade de Mbanza Kongo regista uma acentuada escassez de gasóleo e gasolina, situação que se viu agravada nos últimos cinco dias com a roptura total deste produto.
A palavra tónica que se ouve nos dias que correm naquela parcela do território nacional é a falta de combustível na cidade. Todos os dias, logo pela manhã cedo, assiste-se um aglomerado de passageiros em paragens de táxi.
Automobilistas entrevistados pela Angop, mostraram-se preocupados com a situação e questionam-se pela morosidade que se assiste para restabelecer a situação o mais depressa possível.