A carteira de crédito a clientes do Banco Millennium Atlântico (BMA), no terceiro trimestre de 2018, fixou-se nos 454,10 mil milhões de kwanzas e esse valor representa um aumento de 24,03 mil milhões em relação ao apurado no trimestre anterior, conforme lê-se no balancete trimestral do banco.
A demonstração contabilística do BMA apresenta ainda uma disponibilidade de caixa de 158,16 mil milhões de kwanzas, consolidando um activo total de 1,39 biliões, contra os 1,28 biliões
do período anterior.
As contas do Millennium Atlântico, que datam de Junho a Setembro de 2018. acentuam um banco com vários desafios pela frente, sendo um deles de reservas, que se fixou negativo em 49,69 mil milhões de kwanzas.
Já na conta Títulos e Valores Mobiliários, o Atlântico revela um saldo, em final de Setembro, de 514,16 mil milhões, acima do trimestre anterior,
que foi de 446,81 mil milhões.
No que diz respeito aos créditos no sistema de pagamentos, as contas do banco situaram-se em 1,11 mil milhões de kwanzas, contra os anteriores 748,750 milhões.

Linha de financiamento
Nesta linha de actuação, há dias o banco anunciou um acordo com o alemão Commerzbank, para uma linha de financiamento
de 30 milhões de euros. Soube o JE que a referida linha permite ao Atlântico reforçar a sua capacidade de financiar projectos que impulsionem o desenvolvimento da economia nacional e deve contar, igualmente, com garantias de agências de crédito à exportação (ECAs), como a Euler Hermes.
O presidente da Comissão Executiva do Atlântico, Daniel Santos, esclareceu sobre os critérios por que se vai reger a concessão de crédito aos projectos que venham a ser candidatos a esta linha alemã.
“A concessão de crédito será feita em kwanzas ou indexada à moeda estrangeira a projectos com um montante mínimo a ser disponibilizado não inferior a 5 milhões de kwanzas, abrangendo, preferencialmente, o sector produtivo”, disse.