O sector da Agricultura e Florestas, a nível da província do Cunene projecta para a época agrícola 2018/2019 colher cerca de 100 mil toneladas de cereais.
Segundo um documento do Gabinete da Agricultura, Pecuária e Pescas da província do Cunene, durante a campanha, o programa de fomento agrícola prevê o enquadramento de 110 mil famílias e assistência técnica a 20 mil famílias organizadas em associações e cooperativas de camponeses.
Atenção especial será também dada na organização da produção das comunidades rurais, aumento da produção e produtividade das famílias camponesas, bem como na melhoria da segurança alimentar e das populações.
“Estamos a apostar no sector empresarial que se apresenta um pouco tímido. Há uma necessidade imperiosa de impulsionar este sector para aumentarmos a produtividade”, destaca a fonte.

Balanço 2017/2018
Segundo dados, na safra passada, a província apoiou e assistiu 5 mil famílias nos municípios de Ombadja, Cuanhama e Cuvelei, dentro do Programa de Extensão e Desenvolvimento Rural (PEDR) e 76.194 no programa de fomento das actividades agrícolas.
Quanto à área semeada com tracção animal e manual, a nível dos seis municípios da província do Cunene, os dados apontam um total de 385.701 hectares, sendo 333.600 por tracção animal e 52.101 manual. Na província existem 134 associações e um total de 8.753 associados (4.278 homens e 4.475 mulheres). A província tem 14 co-operativas agrícolas, com 1.596 famílias.
Em comparação com a campanha 2016/2017, os resultados obtidos na época 2017/2018 são considerados positivos, com o cultivo de 185.616 hectares, que resultou na produção de 52.585 toneladas de massango e massambala, principais
culturas da região.
No massango foram cultivados 143.850 hectares, tendo como resultado a produção de 40.753 toneladas. A massambala foi plantada numa extensão de 41.766 hectares, com a produção de 11.832 toneladas.Agricultura empresarialO Gabinete da Agricultura, Pecuária e Pescas local tem o controlo das fazendas, sendo que o da Cahama conta com uma fazenda agrícola e 13 pecuárias, Coroca (1) e seis pecuárias, Cuanhama tem apenas seis fazendas pecuárias. O município do Cuvelai tem cinco fazendas agrícolas e nove pecuárias, Ombadja conta com sete agrícolas e quatro pecuárias. Já no município de Namacunde não existe nenhuma fazenda controlada pelas estatísticas do sector.O quadro pluviométrico caracterizou-se acima do normal das precipitações, com 708.2 mm, criando assim condições favoráveis para a preparação de terra e a sementeira. Pecuária destaca-seA pecuária constitui uma das principais actividades económicas da província do Cunene, já que “tradicionalmente o povo do Sul de Angola é pastor”.Neste contexto, aproximadamente 79,1 por cento da população do Cunene pratica a pecuária, sendo que os maiores detentores são os criadores tradicionais, com maior destaque para o gado bovino, mas também pode-se encontrar criação de grandes manadas de caprinos,ovinos, suínos e equinos.No quadro da campanha de vacinação bovina em 2017, um total de 502.243 cabeças foram imunizadas, e para este ano, até agora 318.126 animais já estão vacinados.

Caça furtiva preocupa na região

A situação florestal a nível da província do Cunene é considerada “muito preocupante”, principalmente por causa das acções praticadas pelos carvoeiros e lenhadores, associado com o corte do “pau verde”, que as populações utilizam para a renovação dos cercos das suas casas.
Segundo a fonte, o índice de “desflorestamento” continua quase em toda a extensão da província, principalmente no interior e nos marcos fronteiriços.
Durante a campanha passada (2017), a emissão de licenças de exploração florestal foi feita “regularmente”, de acordo com a Lei Nº 6/2017 de 24 de Janeiro, (Lei de Base de Florestas e Fauna Selvagem).
A produção de plantas nos viveiros do município de Xangongo foi satisfatória, o que permitiu a produção de várias mudas florestais, fruteiras e ornamentais.
Durante o ano de 2017, a província foi contemplada com um projecto de arborização, o qual permitiu a produção de 18 mil plantas de diversas espécies, que foram distribuídas para todos os municípios.
Quanto à fauna, a província conta com várias manadas de animais, mas a caça ilegal dos animais selvagens, continua a tomar “contornos alarmantes”.