A campanha dos últimos meses do ano passado permitiu arrecadar no global um total de 27 mil milhões de kwanzas, equivalentes a 246 milhões de dólares.

O Banco de Poupança e Crédito (BPC) anunciou, na semana passada, em Luanda, ter arrecadado um total de 27 mil milhões de kwanzas, equivalentes a mais de 246 milhões de dólares, durante a campanha de reforço da cultura de poupança das populações desenvolvida no ano passado, designada por “Depósitos em kwanzas”.

Os indicadores avançados pela administração atestam que o segmento de depósitos em moeda nacional registou, por via disso, um peso significativo de 74 por cento, com realce para os últimos meses do ano passado.

Ainda neste capítulo dos depósitos, em termos de taxa de crescimento, foram registados 643,5 milhões de dólares de capitalizações, o que representa cerca de seis por cento. Todavia, os números contrastam com a média de 35 por cento dos últimos três anos.

Rede serviços

De acordo com o presidente do Conselho de Administração, Paixão António Júnior, o banco vai apostar fortemente na melhoria da sua rede tecnológica de serviços, atendendo a nova estratégia de garantir maior eficiência e eficácia do produto bancário disponível na instituição.

Esta medida visa também retribuir a confiança que os mais de um milhão de clientes tem manifestado à instituição, apesar das dificuldades que caracterizaram o seu desempenho, sobretudo no ano passado.

Grosso modo, a actuação do banco em momentos mais críticos ficou caracterizado pelas constantes quedas do sistema, o que diversas vezes obrigou os clientes a apresentarem inúmeras reclamações pelos serviços prestados.

“Esta situação deverá ser completamente ultrapassada, após as inovações que vamos introduzir este ano”, garantiu.

Durante a sua intervenção na gala de premiação dos melhores clientes e funcionários, que o banco realizou no seu edifício-sede, Paixão Júnior adiantou que para Abril está previsto o lançamento do segmento “private banking”, uma divisão de serviço que vai atender de forma personalizada clientes individuais e colectivos, para os quais o banco vai disponibilizar também o seu mais recente cartão de crédito, designado muata palladium.

Com esta medida e apoiando-se nos serviços dos 239 balcões, 24 dos quais abertos em 2010, a instituição projecta, enquanto banco de capitais públicos, a sua rentabilização, seguindo os seus objectivos de continuar a aproximar-se das comunidades, combater a pobreza e o sistema financeiro paralelo, fomentar a bancarização, impulsionar o crescimento económico e financiar projectos de recuperação de infra-estruturas que aumentem postos de trabalho e a qualidade de vida das famílias.

Neste âmbito, enquadrado no plano Executivo de apoio à produção agro-industrial interna, o Banco de Poupança e Crédito (BPC) disponibilizou em micro-crédito e crédito de campanha a quantia avaliada em 20 milhões de dólares a um total de 37 mil famílias nas diversas províncias do país.

Perspectivas

A administração liderada por Paixão Júnior pretende, igualmente, edificar este ano 40 novos balcões distribuídos por todo o território nacional, 15 dos quais poderão já ser inaugurados nos próximos tempos.

Para o triénio 2011-2014, a estratégia do banco passa pelo realinhamento dos seus objectivos à conjuntura actual do mercado financeiro nacional e internacional, avaliado o impacto da crise económica.

No recente encontro de quadros, realizado na cidade de Menongue, província do Kuando-Kubango, o BPC levou à discussão temas como o alinhamento da cultura e dos valores do banco com as melhores práticas em eficiência operativa e qualidade de serviços, o reforço das capacidades e mecanismos de controlo de gestão de risco e a obtenção de rating para emissão de dívida nos mercados financeiros.

Actualmente, o sistema bancário integra um total de 875 balcões de 21 operadores do sector, mas pretende-se atingir ainda este ano os mil postos de atendimento pelo país.

Novos produtos

Relativamente aos produtos e serviços, a instituição destaca o acesso cada vez mais dos clientes aos produtos SMS Banking, nomeadamente a consulta de saldo e a notificação automática de movimentos, produto que em apenas três meses de operação atingiu a marca de 15 mil subscritores.

A gala serviu ainda para o banco, na continuidade da potenciação dos seus serviços à distância, anunciar o lançamento do “BPC Express”, com o conceito Caixa Automática BPC, exclusiva para clientes, que estará presente no Shopping Gika, em Luanda, onde os serviços automáticos serão privilegiados com a ajuda de assistentes do banco, para aumentar a velocidade da curva de aprendizagem e evitar a retracção aos serviços electrónicos.

Ainda este ano, a instituição prevê o lançamento de outros 15 novos produtos, com grandes inovações para o mercado angolano, como são os casos do “Lua-de-Mel”, o “Formatura”, o “Gestantes” e o “Saúde”, para citar estes.

Leia mais sobre outras notícias da actualidade na edição impressa do Jornal de Economia & Finanças desta semana, já em circulação