O semblante dos empresários nacionais e estrangeiros, que saíam da discussão realizada à porta fechada com membros do BNA, era de satisfação e acreditam que as medidas vão de alguma forma melhorar o processo de dinamização económica em curso no país.
Na opinião do presidente da Comunidade das Empresas Exportadoras e Internacionalizadas de Angola (CEEIA), Agostinho Kapaia, que esteve presente no encontro, as novas medidas vão gerar maior estabilidade macro-económica e permitir que as empresas contribuam para reduzir a inflação.
Recentemente numa carta aberta, a Confederação Empresarial de Angola (CEA) consideraram péssimo o actual ambiente de negócios e apresentaram várias propostas para o relançamento da economia nacional.
As 50 associações representadas na CEA manifestaram, na carta dirigida ao Presidente da República, João Lourenço, o seu descontentamento com o actual ambiente de negócios no país. Na missiva, com mais de 28 pontos, foram apresentadas diversas reclamações com destaque para a falta de divisas para o sector privado, assim como a falta de instrumentos financeiros competitivos. VI