As empresas mineiras angolanas Endiama, Sodiam, Ferrangol e IGEO (Instituto Geológico de Angola) preparam, afincadamente, a participação nacional ao fórum sobre mineração “Investing in African Mining Indaba 2019”, a realizar-se na Cidade do Cabo, África do Sul, entre os dias 4 e 7 deste mês.
Fonte do Economia & Finanças afecta ao Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos (MIREMPET) disse que estas empresas vão reforçar a representação ministerial de Angola no evento e que a expectativa é de se conseguirem novas parcerias, porquanto o comércio internacional de minérios ganha maior presença nas economias do continente.
O OGE/2019 prevê com a extracção de diamantes 9,4 por cento como taxa de crescimento, mas no conjunto com outros minerais metálicos, está prevista uma taxa de crescimento real média de 15,5, o que deverá resultar da entrada em exploração de novas minas de diamantes (Luaxe) e ainda a continuidade da produção de outras como Catoca, o Cuando e o Chitotolo (ouro, minério de ferro e ferro concentrado).
O Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN/2018-2022), para o sub-sector dos diamantes, projecta um aumento considerável da produção e reestruturação do sector, passando dos actuais 8,9 milhões para 13,8 milhões de quilates/ano crescimento expressivo que será impulsionado pela entrada em operação de várias minas.
Segundo um relatório publicado, a perspectiva de produção angolana de diamantes, referente a 2018, mostra uma rápida aproximação aos picos de 2014. IL