Mais de 12 milhões de kwanzas é o valor arrecadado na II edição da feira agro-pecuária do município do Kamanongue, na província do Moxico,  e que decorreu de 6 a 7 de Julho, sob o lema “o papel e importância da agricultura familiar no âmbito da produção agropecuária”.
O evento contou com 32 expositores e foram comercializados vários produtos como, bombó, mandioca, milho, laranja, tangerina, cana-de-açúcar, mamão, abacate, produtos hortícolas, carne suína e caprina.

Bons indicadores
O governador da província, Gonçalves Manuel Muandumba, que testemunhou a feira, parabenizou o esforço dos camponeses e encorajou-os a trabalharem para aumentar os níveis de produção
e de renda no seio das famílias.
Considerou que os trabalhos que os camponeses têm vindo a desenvolver vai proporcionar cada vez mais a estabilidade económica e financeira das famílias e associar-se aos esforços do Executivo na luta contra a a fome e a pobreza .
Para o governador, a feira serve de oportunidade para os agricultores criarem parcerias de negócio com os empresários locais e estrangeiros, e constitui também uma oportunidade para mostrar as potencialidades agrícolas existentes na região Leste do país.
Exortou as famílias e associações de camponeses a trabalharem mais para que as próximas edições haja melhorias em termos de exposição, para atrair m
aior número de investidores.
“É com este gesto que podemos reduzir a fome e pobreza dentro das comunidades. Vamos todos nos juntar e trabalhar para que o futuro seja uma outra realidade”, disse.
Gonçalves Muandumba reconheceu as dificuldades que os camponeses enfrentam durante o  processo de produção, desde a falta de instrumentos, com realce para os fertilizantes e sementes.
O governante considerou a agricultura como um sector importante para a criação de empregos, tendo defendido maior aposta, aproveitando as potencialidades quer do solo assim como dos recursos hídricos que a província dispõe.
“Temos estado a encorajar e estimular a produção agrícola no âmbito do programa do combate à fome e à pobreza, onde a resposta é positiva, através dos níveis de produção local”, informou.
Apelou as administrações municipais a cooperarem com os agricultores,  para em conjunto se encontrarem algumas soluções locais dos problemas que ainda  afligem os camponeses, durante o processo de produção.


Agricultores pedem mais apoios para aumentarem as colheitas
Os agricultores solicitaram tratores, charruas, motobombas, catanas, enxadas, alfaias e fertilizantes no sentido de aumentarem os níveis de produção e criar auto-sustento alimentar, a nível do município de Kamanongue.
O fazendeiro Jorge Fernando Solueca apontou como maior dificuldade o mau estado das vias de acesso, situação que tem inviabilizado o escoamento de produtos para os
grandes centros de consumo.
Com sete hectares, na localidade de Caiquembe para a produção de diversas espécies, Jorge Fernando Solueca afirmou que com o apoio teria feito “muito mais”, uma vez que a terra favorece para a prática da agricultura a todos os níveis.

Crise não abala feira
Apesar da actual conjuntura macroeconómica, tendo em conta a crise financeira que o país está a viver, os 12 milhões de kwanzas arrecadados na feira, superaram a edição anterior realizada em 2016, em que foram contabilizados apenas
oito milhões de kwanzas.
O município de Kamanongue dista 52 quilómetros a norte da cidade do Luena, tem uma extensão de 2.783 quilómetros quadrados e uma população estimada em cerca de 32.587 habitantes.
Está limitado ao norte com a província da Lunda Sul pelo rio Cassai, a Sul pelo município do Moxico e Leua, a Leste pelo município do Lumege Cameia.
O município tem 17 associações e uma
cooperativa de camponeses.
Para a presente campanha agrícola estão a ser produzidos 9.500 hectares, onde a previsão é de colher mais
de 30 mil toneladas. LV