Impulsionada pela actividade dos campos da região do pré-sal da Bacia de Santos, a Petrobras atingiu, em Junho, um novo recorde na produção de petróleo e gás natural, com uma produção de 2,81 milhões de barris de óleo equivalente por dia (petróleo e gás).
Os dados foram divulgados esta semana e indicam que deste total 2,7 milhões barris de óleo equivalente foram produzidos no Brasil e 113 mil no exterior. Somente nos campos do Brasil, a produção média de petróleo foi de 2,2 milhões de barris/dia, volume 0,6 por cento superior ao de Maio deste ano.
O resultado deve-se, principalmente, segundo a Petrobras, o retorno da produção da plataforma P-43, localizada nos campos de Barracuda e Caratinga, na Bacia de Campos, e do FPSO Cidade de Mangaratiba, no campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos, após paragens programadas pela companhia.
Já a produção de gás natural nos campos brasileiros, ainda em Junho, excluído o volume do gás liquefeito, foi de 80,3 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d), volume 1,8 por cento acima do mês anterior. Neste caso, o aumento decorre, principalmente, do retorno à produção do FPSO Cidade de Mangaratiba.
Os dados divulgados pela Petrobras indicam que a produção de petróleo operada pela estatal brasileira e pelos seus parceiros na camada do pré-sal atingiu em Junho dois novos recordes, o mensal, com a produção de 1,35 milhão de barris de petróleo de média diária e em um único dia, com a produção alcançada no último dia 19 de Junho, de 1,42 milhão de barris.
Também foi recorde, a produção de petróleo e gás natural ao alcançar o novo recorde de 1,69 milhão de óleo equivalente por dia.
A Petrobras informou que contribuíram para esse resultado também o início da produção da plataforma P-66, no campo de Lula, e a entrada em produção, ao longo deste ano, de novos poços produtores conectados aos FPSOs Cidade de Caraguatatuba.