A área de exploração florestal produtiva do país está estimada em 69 milhões de hectares, representando uma vasta cadeia de exploração da flora e fauna nacional, disse, em Luanda, o director Nacional do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF) do Ministério da Agricultura e Florestas, Simão Zau.
Em declarações à Angop, o director do Instituto de Desenvolvimento Florestal sublinhou que os 69 milhões de hectares representam aproximadamente 56, 3 por cento do território nacional.
Frisou que a exploração florestal em grande escala está concentrada nas províncias de Cabinda, Uíge, Bengo, Cuanza Norte, Moxico,Lunda Sul, Cuando Cubango, Huambo, enquanto que em pequena escala Zaire, Malanje, Huíla, Bié e Lunda Norte, todas com diversidade de espécie.
Questionado sobre o facto de cento e 15 mil hectares de florestas para explorar madeira e mil para a exploração de carvão vegetal estarem inexploradas nos municípios de Massango e Cambundi Catembo, por falta de empresas licenciadas para o efeito, Simão Zau, disse que a solução depende da disponibilidade de mais empresas do sector.
A campanha Florestal anual tem início a 01 de Maio e termina a 31 de Outubro, mas este ano a abertura da campanha florestal foi feita apenas a 14 de Agosto, devido às medidas tomadas pelo Executivo, de modo a disciplinar a actividade de exploração florestal, relacionadas com a aprovação e publicação do novo regulamento florestal, construção de interpostos de madeira, definição dos preços de referência e a obrigatoriedade de depósito de dívidas em bancos angolanos, para a exportação da madeira.