Isaque Lourenço

A Cidade brasileira do Rio de Janeiro acolhe, em Agosto, o O&G Tech Week, evento que busca aprofundar as discussões sobre as alternativas disponíveis
na indústria petrolífera.
O evento marcado para o Museu do Amanhã, é uma continuidade do fórum de Julho que o Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP) promove em mais um Warm Up, que decorre sob o lema “Tecnologias & Inovações Exponenciais”.
Esta terceira edição do Warm Up vai ter na abertura a intervenção do secretário-geral do IBP, Milton Costa Filho, além das presenças de Ricardo Yogui, da Agência PUC de Inovação, Ronaldo Porto, designer e professor de empreendedorismo da FGV, e Peter Kronstrom, sócio do Copenhagen Institute for Futures Studies.
Na abordagem do evento perfilam ainda temas como inovação, disrupção tecnológica e as megatendências que estão a moldar o futuro da indústria.
A organizaçãoa dvoga que “a programação tem o objectivo de estimular novas formas de pensar e gerar insumos de como as empresas e profissionais podem aproveitar o momento para se posicionarem frente aos desafios do mercado”.
Recentemente, isto em Junho, o Brasil realizou o evento “BRasil Offshore”, com o qual busca a produtividade, geração de negócios e lucros que resultem da capacitação profissional de toda a estrutura do sector de óleo e gás.
Numa parceria entre o Instituto Brasileiro de Óleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) e a Society of Petroleum Engineers (SPE), a conferência discutiu temas como “Poços e Resevatórios”, cujo os palestrantes foram responsáveis da Petrobras, Eneva e Queiroz Galvão. Os executivos aproveitaram o espaço para destacar as necessidades e as soluções inovadoras de reservatório, perfuração e restauração de poços que têm viabilidade económica e consigam estender a vida útil dos campos para aumentar sua recuperação.
Dados da organização dão conta de que 550 marcas expositoras, 53 mil visitantes e um movimento de cerca de 250 milhões de reais em negócios. Nesta edição, a feira trouxe um público mais qualificado tanto em expositores quanto em visitantes e aqueles que pretenderam fazer investimentos certeiros tiveram também a oportunidade de ampliar sua rede de contactos e gerar novas parcerias.
“A Brasil Offshore, o IBP e a SPE investiram para que o público participante tivesse acesso aos profissionais mais qualificados e a oportunidade de aprimorar seu conhecimento sobre as cadeias logísticas do sector de óleo e gás”, lê-se em nota.