Os mercados do Km 30, em Viana, e do Katinton, no bairro com o mesmo nome, no distrito urbano da Maianga, em Luanda, continuam a ser opções válidas para quem busca comprar frutas, legumes e hortícolas ao preço e quantidades consideradas acessíveis no dia a dia.
Na semana em que o Candando realizava a Feira do Tomate Nacional deslocamo-nos aos dois locais de referência obrigatória dos citadinos, para perceber como anda a oferta de tomate na capital.
“Já houve épocas mais difíceis de se adquirir tomate, sobretudo quando as chuvas são muito intensas, pois a maioria das zonas de cultivo são planas e não permitem o plantio com o excesso de água na terra”, disse o vendedor Lucas Miguel, que traz de Quibala a sua carrinha Mitsubishi Canter para no Katinton vender ao preço mais justo a sua lavoura em função do custo de produção.
Lucas explica que com a estação chuvosa, apenas as zonas montanhosas e que são poucas, e ainda de difícil trabalho, podem dar-se ao cultivo do tomate, sendo por isso que nesta altura do ano a caixa do tomate chega a ser mais cara. Lembra que já chegou a vender a caixa de 20 quilogramas por 7.000 kwanzas. Neste momento, vende-a por 4.000, a razão de 1.000 kwanzas por cada cinco quilogramas.
No mercado do Km 30 de Viana, encontramos Márcia Domingos. Ela se fazia ao parque de táxis acompanhada de um roboteiro. Com um saco plástico azul às riscas cheio de tomate, Márcia diz que recebeu uma boa quebras, porquanto há muito tomate verde e maduro, razão pela qual apesar de comprar 10 quilogramas por 2.000 kwanzas, sai satisfeita.