A Agência Internacional de Energia (AIE) anunciou, recentemente, um aumento da previsão da procura mundial de petróleo em 145 mil barris diários (mbd), para 90,8 milhões, em consequência das baixas temperaturas registadas em vários países da OCDE no segundo trimestre.

Para 2014, a agência energética dos países desenvolvidos prevê um aumento do consumo de 1,2 milhões de barris em comparação a 2013, o que equivale a um novo recorde de 92 mbd.

O recorde não é considerado uma surpresa, já que o consumo mundial de petróleo costuma bater máximos anuais, mas representa uma aceleração do ritmo comparado ao de 2013, ano em que a AIE prevê um aumento de 930 mil barris diários. A Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) prevê um aumento da procura mundial de petróleo em 2014, devido à melhor situação da economia mundial. O cartel, que produz quase 35 por cento do petróleo mundial, prevê uma procura de 90,68 milhões no próximo ano, contra 89,64 em 2013, após uma revisão para baixo. A confiança da OPEP baseia-se na esperada melhoria da economia mundial, que vai crescer 3,5 por cento, contra os três da previsão anterior, este ano.

Produção angolana
Angola vai passar a produzir dois milhões de barris de petróleo em rama por dia a partir dos próximos dois anos, numa altura em que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) prevê um aumento significativo na procura do crude no mercado mundial, conforme anunciou, recentemente, o ministro angolano dos Petróleos, Botelho de Vasconcelos.

Conforme o governante, a previsão vai ser concretizada, na medida em que se baseia na produção actual, estimada em 1,751 milhões de barris por dia, estando as reservas disponíveis calculadas em 12,7 mil milhões de barris.

“Tendo por base os dados que temos actualmente, o aumento da produção para dois milhões de barris por dia vai ter lugar no ano que vem ou em 2015”, disse ainda o ministro.

Em Abril, o ministro disse que as reservas se situavam em 12,6 mil milhões de barris, devendo  aumentar em função da exploração do pré-sal, que se estende por mais de 1.100 quilómetros.

Avaliação independente
Angola está a caminho de tornar-se no primeiro produtor africano de petróleo já no próximo ano, ultrapassando a Nigéria devido às dificuldades internas deste país, de acordo com a consultora Energy Aspects, citada pelo Financial Times.

O analista-chefe para a área do petróleo da Energy Aspects, Amrita Sen,  disse que a produção angolana tem vindo a subir devido às novas explorações, enquanto a produção da Nigéria tem caído devido a roubos de petróleo e a interrupções no fornecimento, o que levou a que a produção nigeriana tenha passado de 2,2 milhões de barris/dia, em 2012, para menos de 1,9 milhões actualmente.