A produção  de  milho da China em 2013 vai aumentar 5,9 por cento em relação ao ano anterior, para 217,7 milhões de toneladas, segundo um órgão oficial do Governo na quarta-feira, citado pela agência reuters.

O organismo revisou para cima a sua estimativa a partir de uma previsão anterior de 215 milhões de toneladas.
A China, segundo consumidor global do cereal, espera uma safra de milho recorde este ano, e enfrenta uma abundância devido ao consumo fraco na indústria de ração animal.

O consumo do país é estimado em 197 milhões de toneladas.
Em meio à grande produção, o país bloqueou a entrada de uma outra carga de milho dos Estados Unidos, e mais três podem ser rejeitadas, após testes encontrarem um tipo não aprovado do cereal geneticamente modificado, em uma crescente disputa comercial com os norte-americanos.

Arroz e soja em queda
Já a produção de arroz do país vai cair 0,7 por cento, para 202,75 milhões de toneladas, conforme avançou o organismo.

A colheita de soja deverá registar baixa de 6,5 por cento, para 12,2 milhões de toneladas, segundo levantamento da instituição.
Como resultado deste excelente ambiente produtivo chinês, o país bloqueou, recentemente, a entrada de uma outra carga de milho dos Estados Unidos, e mais três podem ser rejeitadas, após testes encontrarem um tipo não aprovado do cereal geneticamente modificado, em uma crescente disputa comercial com os norte-americanos.

A última carga de 59.100 toneladas foi rejeitada na terça-feira depois que autoridades de quarentena na província oriental de Zhejiang detectaram o milho MIR 162, uma cepa ainda não aprovada para importação pelo Ministério da Agricultura, disse uma autoridade de quarentena.

Desde meados de novembro, as autoridades da China, segundo maior consumidor de milho do mundo, já rejeitaram cerca de 180 mil toneladas do grão.

“Isso, realmente, está causando grandes problemas, e parece estar relacionado a conflitos comerciais bilaterais”, disse um comerciante de milho.

A China, no mês passado, refutou acusações dos Estados Unidos de que estava bloqueando um acordo de tecnologia da Organização Mundial do Comércio, com o ministro do Comércio Gao Hucheng chamando os Estados Unidos de “irresponsáveis”.

“Traders” disseram que outros três carregamentos de milho já haviam testado positivo para MIR 162 e deveriam ser rejeitados nos portos de Guangdong e Fujian. Alguns não foram descarregados, tornando mais fácil enviá-los para outros mercados, incluindo o Japão.

A China espera uma safra de milho recorde este ano, e enfrenta uma abundância devido ao consumo fraco na indústria de ração animal.