A multinacional do sector mineiro AngloAmerican inicia actividades em Angola este ano, ao abrigo de cinco acordos que assinou com o Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos (Mirempet) na feira “Indaba Mining”, que decorreu até ontem na cidade do Cabo, África do Sul.
Com o Mirempet o grupo rubricou terça-feira contratos de investimentos mineiro, dos quais três para a província do Cunene, visando a prospecção e exploração de metais básicos, como cobre, cobalto e níquel, e dois no Moxico, onde também há cobre, cobalto e prata.
O anúncio foi feito na África do Sul pelo presidente executivo da multinacional, o australiano Mark Cutifani, à margem de um encontro que manteve com o ministro Diamantino Azevedo, do qual saiu impressionado com a estratégia apresentada, em particular, com o que se quer fazer no sector mineiro.
“Temos cinco acordos bem claros e esperamos que venham a ser benéficos para as comunidades angolanas, bem como para a AngloAmerican, empresa que pretende assinar acordos para todo o tipo de minerais em
Angola”, referiu.
À margem da edição de 2020 do “Indaba Mining”, que todos os anos decorre na Cidade do Cabo, o presidente da AngloAmerican assegurou que o Mirempet já informou o interesse que tem o grupo mineiro de iniciar os trabalhos de prospecção ainda este ano, mesmo que outros passos estejam dependentes da assinatura de um conjunto de acordos entre o grupo mineiro e o Governo angolano.
Sobre a presença da AngloAmerican em Angola, Mark Cutifani afirmou que, primeiro, a empresa gostaria de terminar um conjunto de acordos entre os dois países, onde se vai determinar a natureza da relação e, segundo, se ambas as partes estiverem satisfeitas, vai se dar início a importantes investimentos.