A Agência Nacional de Petróleo Gás e Biocombustíveis (ANPG) e a Sonangol assinaram, recentemente, dois contratos de cooperação, um de suporte à transição da função concessionária e outro de agenciamento de petróleo bruto, que visam o correcto e produtivo funcionamento destas duas entidades estatais. Estes dois contratos trazem vantagens significativas para o país e para o desempenho de ambas as entidades,sendo que a relação fica agora mais fortalecida.
O acto de assinatura foi orientado pelos presidentes do Conselhio de Administração da ANPG, Paulino Jerónimo, e o da Sonangol, Gaspar Martins. Estiveram também administradores executivos e não executivos de ambos os organismos públicos.
O contrato de suporte à transição tem como objectivo contribuir para o arranque efectivo da ANPG e para o bom funcionamento das áreas de suporte (tecnologias de informação, recursos humanos, administração e finanças). No fundo, visa evitar a disrupção nas funções e nos trabalhos a desenvolver pela concessionária nacional.
O contrato de agenciamento estabelece que a Sonangol comercializa o petróleo da concessionária nacional, sendo que a ANPG reconhece à Sonangol competências e a mandata para o efeito.
O presidente e os administradores recém-empossados da Sonangol receberam os seus homólogos da Agência Nacional de Petróleo Gás e Biocombustíveis (ANPG), num encontro que durou cerca de duas horas, e que visou revisitar o processo de transferência da função concessionária da Sonangol para a ANPG. Este encontro acabou também por culminar na assinatura destes dois contratos, os quais são essenciais para a regulação da actividade e para a definição das responsabilidades em ambas as entidades. Esta assinatura fortalece e estreita a relaçãode trabalho e de parceria entre ambas as partes.
O presidente da ANPG, Paulino Jerónimo, enfatizou a importância do trabalho em equipa entre as duas entidades para a prossecução dos desígnios do Governo de Angola no âmbito do sector petrolífero. “Só trabalhando de forma harmoniosa, focados no objectivo comum de fazer de Angola um país, um mercado e um player realmente importante a nível mundial no âmbito petrolífero, é que cada uma das partes estará a desempenhar bem a sua missão, a sua função. É seguramente por aqui que queremos e vamos caminhar, contribuindo em conjunto e cada vez mais para o desenvolvimento do nosso país e para elevar a imagem de Angola em todos os mercados importantes”, disse.