A luta pela sobrevivência, o desemprego, o sustento das famílias, as dificuldades da vida, figuram entre as principais motivações que colocam muita gente no mercado municipal do Uíge a realizar negócios.

Mesmo sem vocação ou experiência de negociar, vender ou acumular lucros, a procura pelo sustento fala sempre mais alto do que qualquer regra de mercado. Dos produtos do campo aos industrializados, da carne fresca ao peixe e frango congelado, do material escolar ao vestuário e produtos de beleza, tudo e muito mais, os clientes vindos de todas as partes da cidade do Uíge encontram na “Praça Grande”, como popularmente conhecido, o mercado municipal do Uíge.

Os preços variam consoante o produto desejado, as quantidades dependem do bolso de cada comprador. Na bancada de Celina Manuel, por exemplo, formada de pedras e montão de barro coberto por um saco, de segunda-feira a sábado tem sempre na montra, produtos extraídos dos campos férteis.
“Há vezes em que os compradores solicitam certos produtos que na hora não disponho, mas as colegas atendem”, disse.
Celina Manuel, de 57 anos de idade, mãe de cinco filhos, vende produtos diversos do campo e entrou no mundo dos negócios em 1981, tendo como ponto de partida o mercado municipal do Uíge, altura em que ela e o seu esposo fixaram-se na cidade, vindos do município do Bembe, sua terra natal.
A maior parte das famílias camponesas viram-se privadas de ir aos campos para cultivar, com receio de accionar engenhos explosivos que se encontravam espalhados um pouco por todo lado.
Detendo o comércio ambulante como alternativa. “A vida na praça tem sempre momentos altos e baixos, mas o tempo me ensinou a ter paciência e a lidar com os temporais dos dias maus das vendas e celebrar os momentos de fartura”. Madalena João, outra vendedora, contou que, enveredou no comércio por gosto, de tanto acompanhar a mãe que se dedicava à mesma actividade e a rotina de ir à moagem para transformar o bombó em fuba.
“Diariamente consigo vender três a 7 mil kwanzas dependendo do momento. Vendemos o quilo de fuba a 100 ou 150 kwanzas”, disse. Por isso assegura queos lucros que provêm do negócio já dá para ajudar nas despesas da família em casa