O risco de abrandamento nos Estados Unidos da América e a crise dos emergentes, são os principais factores a justificar a subida de cotação do ouro no mercado internacional.

O ouro parece estar a recuperar fôlego como activo refúgio nos últimos meses. Na passada terça-feira (17), o “metal amarelo” valorizava 0,84 por cento, para os 1.329,78 dólares norte-americanos (12.947.1 kwanzas) a onça, o nível mais elevado em mais de três meses e meio.

Os ganhos da última sessão acumulam uma valorização de 4,1 por cento verificada na última semana, que já de si representa a maior subida semanal desde meados de Agosto do ano passado. Em 2014, os ganhos já ultrapassam os 10 por cento.