Os preços do barril de petróleo Brent, referência às exportações de Angola, desceram, em uma semana, cerca de quatro pontos percentuais, tendo deixado os 80 dólares de quinta-feira passada para os 76,75 dólares com que negoceava até ontem nos mercados de futuros de Londres.
Ainda assim, a maré de incertezas das negociações do Brent agudizou-se com a suposição de a morte do jornalista Jamal Khashoggi ter sido premeditada. Desta vez foi para o bem, pois estas alegações deram azos ao mercado e fizeram subir pontos percentuais. Mas os analistas não têm dúvida de que os Estados Unidos e países antagónicos como Rússia, Arábia Saudita e Turquia aquecem os mercados com um ambiente propício aos tempos da guerra fria.
“A queda dos mercados de ações continua gerando fortes ventos contrários”, segundo analistas do Commerzbank. “Isso expressa uma preocupação crescente com o desenvolvimento econômico, que também teria um impacto sobre a demanda por petróleo”
A oferta petrolífera angolana está a subir de níveis e o Projecto Kaombo Norte, com uma capacidade de produção de 230 mil barris de petróleo/dia, produziu na última semana uma média diária de 96 mil barris/dia, apresentando uma eficiência operacional de 96,3 por cento, soube a Angop.