A venda de petróleo angolano ao mercado internacional mantém os níveis de um desempenho assinalável. Entre Julho, Agosto e Setembro, as receitas do petróleo acumularam ganhos de acima de três (3) mil milhões de dólares/mês, numa média de 100 milhões de dólares/dia.
Sob um preço real de venda calculado na média de 75 dólares, as ramas (Brent) angolanas totalizaram 1.443.000 de barrís em Julho; 1.462.000 em Agosto e 1.519.000 em Setembro, de acordo com dados publicados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) no mais recente relatório.
Na comparação trimestral deste ano, Angola obteve média dária de 1.562.000 no primeiro trimestre, 1.490.000 no segundo e 1.474.000 no terceiro. Já em 2016 e 2017, respectivamente, as médias diárias foram de 1.718.000 e 1.634.000, dados que indicam a relativa desaceleração da produção, mas que tem sido compensada pela subida dos preços que este ano já atingiram o pico máximo nos 90 dólares. A Nigéria que é a maior produtora africana, neste momento, nos meses de Julho, Agosto e Setembro produziu 1.643.000; 1.722.000 e 1.748.000, respectivamente. O maior produtor é ainda a Arabia Saudita com mais de 10 milhões de barrís/dia. IL