O Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos (MIREMPET) aprovou, esta semana, o regulamento do financiamento de formação superior especializada em recursos minerais e petróleos. A informação consta do Despacho nº 16/19, de 21 de Fevereiro, inserido no Diário da República Iª série nº 25, que regulamenta e define as regras aplicáveis ao financiamento da formação superior especializada a cidadãos angolanos que pretendam adquirir o grau de bacharel, licenciatura, mestrado ou realizar formação especializada de natureza profissional em estabelecimentos de ensino superior públicos, privado e público-privados existentes em Angola ou no exterior do país. No documento consta ainda que o Mirempet poderá financiar, caso haja possibilidade financeira em função das prioridades identificadas no Sector e no âmbito do Plano Nacional de Formação de Quadros, cursos superiores em outros domínios que se mostrem necessários e relevantes no contexto institucional da gestão do Ministério. Recentemente, o Ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, apresenta esta Sexta-feira, 11/01, na cidade de Tóquio, Japão, as potencialidades angolanas em termos de recursos minerais e petróleos, numa apresentação especial no auditório do edifício sede do Banco Japonês para a Cooperação Internacional JBIC, (Japan Bank for International Cooperation) durante um seminário promovido por este e a embaixada de Angola no Japão. O ministro do pelouro, em Janeiro deste ano, deslocou-se ao Japão, com uma delegação interministerial também integrada pelos ministros das Finanças e o dos Transportes. Segundo uma publicação do Jornal de Angola, de Junho de 2017, o Instituto Nacional de Petróleos (INP), localizado no Sumbe, província do Cuanza Sul, manifestara a intenção de evoluir para o ensino superior. “O Instituto Nacional de Petróleos (INP), localizado no município do Sumbe, vai este ano criar as condições para introduzir cursos superiores de engenharia e gestão de petróleo e gás, foi anunciado pelo seu director-geral, Domingos Francisco, durante a primeira assembleia de pais e encarregados de educação, que antecedeu o início das aulas deste ano lectivo, onde foram matriculados 636 alunos, nos cursos de formação média”, avançou.