As empresas de exploração de petróleo bruto e gás e outras de apoio à actividade devem apoiar e dar soluções com maior intensidade às preocupações sociais que comunidades locais manifestam nas circunscrições onde se vem a longos anos extraindo esse produto, defendeu, em Cabinda, o director geral da empresa ALGOA-Fabrication Services, Kevin Christen.
Na visita conjunta de constatação e identificação de alguns problemas sociais mais prementes que a comunidade de Malembo vive, o director geral da ALGOA, Kevin Christen e o vice-governador de Cabinda para o Sector Técnico, Joaquim Malichi, concordaram dar relevância quanto à prestação de maior atenção em acções sociais concretas e no apoio às comunidades locais.
Constatou-se que, as infra-estruturas como a sede da Administração Comunal de Malembo, o Centro de Saúde inaugurado em 2005, o colégio de Malembo e o recinto desportivo, o Centro de Formação que data desde 1999 merecem obras de restauro para melhor servir às populações locais e a juventude estudantil.
“Estamos instalados na Comuna de Malembo há mais de três anos e é nossa responsabilidade e obrigação apoiarmos, no quadro das nossas responsabilidades sociais as preocupações que vivem as comunidades e outras que manifestam dando soluções”, esclareceu o director geral da ALGOA, Kevin Christen.
Salientou que a ALGOA tem vindo a distribuir água potável às populações locais de Malembo e nos próximos dias vai arrancar com a colocação da rede de distribuição de energia e projectos agrícolas para a comunidade sendo essa, uma das obrigações que também será partilhada pelas outras empresas que exploram e apoiam o sector petrolífero por estarem dentro da circunscrição.
A comuna de Malembo com uma população estimada em 10 mil e 300 habitantes está localizada a cerca de 8 kms do campo petrolífero de Malongo, e a aproximadamente 40 kms a Norte da cidade de Cabinda e é a circunscrição onde estão a ser instaladas empresas petrolíferas que estão a abandonar o complexo petrolífero e daí manter a interacção com as comunidades e permitir com que os jovens tenham acesso ao emprego.
Na comuna de Malembo já se instalaram, fora do campo de Malongo, as empresas de apoio à indústria petrolífera, nomeadamente, a Algoa, a Yocogawa, a Amosca e a SVA.