A produção de petróleo no Brasil,  em Junho, cresceu 0,8 por cento ante Maio e subiu 4,5 em relação ao mesmo mês do ano passado, para 2,675 milhões de barris por dia (bpd), segundo dados publicados no início desta semana pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).
Ainda segundo a ANP, pela primeira vez, a produção de petróleo no pré-sal ultrapassou a do pós-sal. A produção do pré-sal em Junho totalizou 1.352.957 barris de petróleo por dia, enquanto a do pós-sal totalizou 1.321.813 bpd.
Já a produção de gás natural em Junho foi de 111 milhões de metros cúbicos por dia, alta de 6,1 por cento se comparada ao mês anterior e avanço de 7,4 ante o mesmo mês de 2016.

A história do pré-sal
A produção do pré-sal, uma das maiores descobertas de petróleo no mundo na última década, superou a tradicional área produtora offshore do país com um forte crescimento, devido à elevada produtividade, ao tamanho dos campos e pesados investimentos da Petrobras.
Enquanto a estatal levou 45 anos, desde a sua criação, para alcançar em 1998 o seu primeiro milhão de barris, a do pré-sal superou o pós-sal em menos de dez anos, desde que a produção foi iniciada, em 2008. A marca do pré-sal foi atingida com poucos campos produtores gigantes, como Lula e Sapinhoá, além de Barracuda, Jubarte, Baleia Azul e Baleia Franca.