As negociações do Brent do ontem estiveram fixadas no preço de 63 dólares pelo barril, em Londres. O preço acima de 60 dólares por barril já perdura há semanas e mostra-se como sendo um ganho efectivo das decisões de 2018 e reforçadas em junho deste ano da Opep, na sua política de cortes. Numa semana em que as expectativas estão voltadas às decisões do cartel Opep nas reuniões de ontem e hoje, a fixação dos preços acima dos 60 dólares pelo barril ainda deixa aliviada a maioria dos produtores, cuja estratégia de corte adoptada visa a manutenção em tais níveis. Angola perspectiva uma produção de 1,48 milhão de barris/dia, dentro da quota fixada pela Opep, mas a sua produção efectiva é de 1,39 milhão e está em vista uma subida para 1,43 milhão de barris/dia em 2020. O petróleo referência às exportações de Angola e Europa concluiu a sessão no International Exchange Futures a cotar 1,89 dólares abaixo dos 60,78 com que fechou as transacções do primeiro dia do mês de Outubro, situação que se deu no pós-anúncio do Equador que abandonou o cartel Opep. O Investing.com fez saber que os preços do petróleo estenderam os ganhos antecipados, na quarta-feira, impulsionados pelas esperanças de cortes mais profundos na produção por parte da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados no final desta semana, e após dados do sector que mostram que os stocks de petróleo caíram mais do que o esperado.
O índice de referência global do Brent subia usd 1,22, ou 2,0 por cento, para 62,02 dólares.