As encomendas do brent para entrega em Novembro, esta semana, iniciaram as transacções, no Intercontinental Exchange de Londres, com um preço alto. Por cada barril cobrava-se 54,02 dólares, sendo este o valor mais alto das últimas sete semanas.
Apesar da ligeira queda observada na terça-feira (12), onde o barril (equivalente a 126 litros) esteve cotado nos 53,71 dólares, as transacções decorrem num cenário bem mais optimista.
Os temores sobre eventuais contornos negativos do actual ambiente de tensão entre os Estados Unidos da América e seus aliados contra a Coreia do Norte foram vencidos.
As encomendas na quarta-feira (13), com um preço de 54,68 dólares, ainda iniciaram sob o balanço do fecho do dia anterior, momento em que atingiu-se os 54,38. A subida foi de mais de 0,40 pontos percentuais.
De acordo com o sítio de internet da Investing.com, especializado nas transacções dos futuros, o fecho de terça-feira observou um valor de 54,27 num contrato de mil barrís e com variação diária entre 54,05 e os 54,71 dólares.
O Investing.com referencia, igualmente, que o último dia de “rollover”, que é o número de encomendas necessárias para dar seguimento a uma dada transacção, foi em 27 de Agosto e a liquidação física datada de 29 de Setembro. A variação apresentada num ano é de 12,23 por cento. Todo este cenário levou maior confiança junto dos commodities.
Angola vende LNG
A Angola LNG vai fornecer gás a uma empresa europeia, com sede na Alemanha, nos termos de um acordo de vendas assinado esta semana, em Luanda, entre as duas partes.
Nos termos do entendimento ora assinado, a Angola LNG fará entregas de carregamento de gás em diversos pontos do mundo à Rwest, uma empresa europeia de comercialização de energia, com sede na Alemanha, e com forte presença também
na Holanda e Reino Unido.
Recentemente, a Angola LNG assinara já um contrato idêntico com a empresa holandesa Vitol, especializada na comercialização e distribuição de produtos energéticos a nível global.
A Angola LNG é um projecto integrado de aproveitamento de gás. Inclui uma fábrica de processamento de LNG no onshore, um terminal marítimo e instalações de carregamento, bem como a possibilidade de proceder ao desenvolvimento
de gás não associado (NAG).
O consórcio industrial recolhe, processa e comercializa anualmente cerca de 5,2 milhões de toneladas de LNG (incluindo fornecimento de gás natural ao mercado doméstico) e líquidos (propano, butano e condensados), a partir da sua fábrica na cidade do Soyo,
província angolana do Zaire.