A empresa Angola LNG Marketing prevê exportar cinco milhões e 200 mil toneladas de gás natural liquefeito (LNG), correspondente a 70 carregamentos por ano, na sequência de vários acordos-quadro de compra e venda celebrados com clientes de todo o mundo.

Segundo uma nota de imprensa da Angola LNG Marketing, além do gás natural liquefeito, Angola vai exportar também outros tipos
de gases como propano, butano e condensados.

A Angola LNG Marketing assegura que outros acordos estão a ser negociados.

Em Junho último, o primeiro carregamento de 160 mil metros cúbicos de gás natural liquefeito do projecto Angola LNG foi transportado para o Brasil a partir do município do Soyo, na província de Mbanza Congo, a bordo do navio- -tanque Sonangol Sambizanga e descarregado no terminal de regaseificação da Petrobras na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.

A propósito do primeiro carregamento, o presidente da Angola LNG Marketing Ltd., Artur Pereira, afirmou que a principal prioridade é a produção e a entrega de LNG angolano para todo o mundo, de forma segura e fiável. Isto foi demonstrado com a entrega do primeiro carregamento.

O Angola LNG é uma parceria entre as companhias petrolíferas Sonangol, Chevron, BP, ENI e Total e visa a recolha e o
processamento de gás natural, cuja finalidade são a produção e a comercialização de LNG e NGL (líquidos de gás natural).

Com uma duração mínima prevista de 30 anos, o projecto Angola LNG ambiciona ser um fornecedor fiável e competitivo,
um parceiro forte da comunidade e um modelo para o desenvolvimento económico de Angola.

O projecto constitui uma solução para minimizar a queima de gás e a poluição ambiental, recolhendo gás associado dos campos
petrolíferos do offshore de Angola, com vista a fornecer energia limpa e fiável aos clientes e rentabilizar o investimento feito
pelos accionistas.

Ele deverá também fornecer LPG e gás natural ao mercado nacional, satisfazendo as necessidades industriais e energéticas.
Anteriormente, o gás era queimado ou reinjectado nos reservatórios de petróleo bruto, mas hoje o projecto Angola LNG representa
uma solução para reduzir as emissões de carbono e criar uma nova fonte de energia limpa.

Os accionistas do Angola LNG são a Sonangol (22,8 por cento), a Chevron (36,4), a British Petroleum (13,6), a ENI (13,6) e a Total (13,6).
Com uma frota de sete navios- -tanque de LNG e três cais de carregamento (LNG, líquidos e butano comprimido), o projecto Angola
LNG tem como missão eliminar a queima de gás, fornecer energia limpa e fiável aos clientes e rentabilizar o investimento.

Angola é o segundo maior produtor de petróleo na África subsahariana, com cerca de 1,7 milhões de barris por dia em 2013. As suas
actuais reservas petrolíferas estimam- se em aproximadamente 12,7 mil milhões de barris.

Venda de divisas Na sequência da sua actividade de controlo de liquidez no mercado, o Banco Nacional de Angola (BNA) vendeu, na semana de 15 a 19 do corrente, divisas ao sistema bancário no montante de 33,5 mil milhões de kwanzas.

A taxa de câmbio média de referência de venda, do dólar norte- americano face ao kwanza, no final do período em análise, foi de
96,463, com uma ligeira variação em relação à semana anterior.

Para a gestão da despesa corrente do Tesouro Nacional, o BNA colocou no mercado primário títulos do tesouro no montante
de 7,3 mil milhões de kwanzas, sendo 5,7 mil milhões em Bilhetes do Tesouro e 1,6 mil milhões em Obrigações do Tesouro. As
taxas de juro médias apuradas foram de 2,98 e 5,07 por cento, ao ano, para os Bilhetes do Tesouro com 91 e 364 dias de maturidade.

Para as Obrigações do Tesouro, as taxas de juro apuradas foram de 7; 7,25; 7,75 e 7,75 por cento ao ano para as maturidades respectivas de 2, 3, 4 e 5 anos.

Para regulação da liquidez, o BNA realizou operações de mercado aberto no montante de 14,6 mil milhões de kwanzas, com 91
dias de maturidade.

No mercado interbancário, os bancos realizaram entre si cedências de liquidez overnight sem garantia de títulos no
montante de 193,5 mil milhões de kwanzas, cerca de 11,80 por cento inferiores ao volume de transacções da semana anterior,
de 219,4 mil milhões de kwanzas.

O volume médio diário das transacções foi de 38,7 mil milhões de kwanzas.

A luibor overnight (1 dia), no último dia da semana, apurada com base nas cedências de liquidez overnight acima referidas, foi
de 6,06 por cento ao ano, abaixo da apurada na semana anterior em cerca de 0,01 ponto percentual. A luibor para as maturidades de 30, 90, 180, 270 e 360 dias situou-se em 7,88; 8,52; 9,25; 9,48 e 10,28 por cento ao ano, registando variações entre -0,31 e -0,15 por cento face à semana anterior.