A recuperação da economia nacional poderá acontecer no segundo semestre do ano em curso. Segundo o relatório do Banco Português de Investimento (BPI), divulgado esta semana, a pesar desse crescimento, o sector petrolífero deverá contrair em 2018, pois a 1ª fase do projecto Kaombo começou a produzir apenas no final do mês de Agosto, sendo por isso possível que ocorra um crescimento do sector petrolífero apenas nos próximos três meses do ano em curso. No entanto, o sector não petrolífero deverá registar um crescimento moderado, constrangido pelas políticas económicas de ajustamento a preços do petróleo mais moderadas face ao passado .
Aliás, no último leilão de divisas realizado pelo Banco Nacional de Angola (BNA), ocorreu uma nova depreciação do kwanza em relação ao dólar, tendo a taxa média ponderada se fixado resultando numa depreciação de 2.45 %.
Realça-se que o BNA não realizava sessões de leilões em dólares desde Outubro de 2016, devido às restrições de uso para pagamentos comerciais da banca comercial em dólares. Por outro lado, a diferença cambial entre mercado paralelo e oficial continua a encurtar -se, estando agora em 34%. O BNA pretende trazer esta diferença para cerca de 20% , até o final do ano.
Para isso, foi seleccionado um consórcio sul-coreano para elaboração de estudos de viabilidade, construção e operação de uma central eléctrica de ciclo combinado a gás na província de Benguela .
O acordo prevê a construção de uma central com capacidade de produção de 750 megawatts. O consórcio seleccionado, o Busan Korea Biotechnology (BKB), é formado por quatro das maiores empresas sul - coreanas do sector energético . Segundo o INE, a economia angolana registou uma desaceleração no primeiro trimestre do ano em curso devido ao declínio na produção do crude.