A Companhia Limitada Nacional de Petróleo Submarino da China (CNOOC, na sigla em inglês) anunciou na segunda-feira desta semana, em Pequim, a descoberta de uma reserva de gasóleo de alta qualidade e elevado desempenho no mar de Bohai, Leste do país.
As reservas confirmadas de gás natural excedem 100 biliões de metros cúbicos. É a maior descoberta de petróleo e gás na baía de Bohai dos últimos 50 anos.
O director do projecto, Liu Baosheng, comunicou que o petróleo e gás foram encontrados em onze poços. O 12º poço estende-se a uma profundidade de 4.700 metros debaixo do fundo do mar. No último meio século, as reservas desta jazida incluíram principalmente o petróleo devido à complexa estrutura geológica. Até agora os exploradores chineses descobriram poucos poços de gás.
Depois da extracção, o gás natural encontrado na jazida poderá ser transportado directamente ao mercado através de gasodutos existentes.
A China planea até 2030 construir uma usina solar no espaço para transformar a energia do Sol em electricidade, obtendo o acesso a uma fonte de energia quase inesgotável, escreveu o jornal Daily Mail.
A usina acompanhará a órbita terrestre, transformando os raios solares em electricidade, que posteriormente será enviada ao nosso planeta.
O jornal afirma que a China está em segundo lugar no mundo, quanto a gastos na investigação do espaço, cedendo apenas aos EUA. O orçamento espacial anual do gigante asiático corresponde a 8 biliões de dólares, o que permite concorrer com os EUA e a Rússia no espaço.
Os representantes da CNSA declararam que, no fim do ano, planea-se o lançamento da missão Chang’e 5 à Lua, bem como tornar a China o primeiro país a instalar uma base no satélite da Terra, usando as tecnologias de impressão 3D. De acordo com o Daily Mail, a China já é um dos líderes na corrida espacial.
Além disso, a CNSA está disposta a realizar um voo a Marte em 2020. Sendo assim, o país ultrapassará os EUA, a Rússia e muitas empresas privadas que querem colonizar o Planeta Vermelho. O jornal ressalta que o gigante asiático recebeu o status de uma das principais potências tecnológicas após realizar o pouso bem-sucedido no lado oculto da Lua e o primeiro experimento biológico na superfície do satélite natural da Terra.