A Sonamet e a Aker Solutions Entreprises celebraram. recentemente, em Luanda, um acordo de parceria para fornecimento de equipamento para produção petrolífera ao projecto Kaombo operado pela TOTAL E&P Angola.


A celebração deste contrato enquadra-se na estratégia do consórcio Aker Solutions e Prodiaman Oil Services, de construir equipamentos subaquáticos para produção de petróleo (manifolds e árvores de Natal, jumpers e cabeças de poço) em Angola, mais concretamente nos estaleiros da Sonamet no Lobito, tendo como destino o projecto Kaombo explorado pela petrolífera francesa Total.

Segundo o secretário de Estado dos Petróleos, Anibal Silva, que testemunhou o acto de celebração, o evento representa mais uma conquista de relevo para o desenvolvimento do tecido económico angolano, na medida em que a assinatura de contrato entre a noroeguesa Aker Solutions e a angolana Sonamet vai poder gerar mais postos de trabalho e criar riqueza no país, diversificando a economia. “Este projecto deve apoiar o conteúdo nacional, com a formação de quadros”, disse.

Passos subsequentes
No estaleiro da Sonamet, no Lobito, província de Benguela, serão construídos 10 colectores de produção (manifolds), 20 âncoras de sucção e fundações, 21 cabeças de poço, 35 linhas de fluxos (jumpers) e outras estruturas, totalizando mais de quatro mil toneladas, como parte da construção de uma das maiores redes submarinas do mundo. Para o director-geral da Total Angola, Jean-Michel Lavergne, este contrato representa cerca de 2.4 milhões de horas de trabalho e contribui em parte para o alcance do recorde de conteúdo local que o projecto Kaombo traz para Angola.

Jean-Michel Lavergne disse ainda que esse contrato e outros desse género somam mais de dois mil milhões de dólares norte-americanos, que vão ser investidos em Angola, gerando 14 milhões de horas de trabalho para o fabrico de 84 mil toneladas de estruturas e equipamentos para o projecto, sendo as principais beneficiárias do “efeito Kaombo” as cidades do Lobito, com os estaleiros da Sonamet e Angoflex, do Ambriz, com o estaleiro da Petromar, onde serão fabricados dois complexos módulos de processamento e injecção, e a cidade de Porto Amboim, com os estaleiros da Heerema e da Paenal; neste último, será feita a integração dos dois módulos no FPSO Kaombo Sul. “Isso mostra mais uma vez que os projectos da Total continuam a ser instrumentais para o fortalecimento do tecido local nas regiões do Sul e Norte de Angola”, afirmou Jean-Michel Lavergne.

O director-geral da Total, no final da sua intervenção, agradeceu a confiança depositada pela Sonangol à empresa que dirige, pela concessionária e parceira, tendo também feito referência à Sonangol Pesquisa e Produção, à Sonangol Sinopec International, à Esso e à Galp Energia, parceiras da Total do bloco 32, pelo apoio contínuo. “Estendo os meus agradecimentos à Aker, por aumentar a fabricação e por nos permitir participar deste processo”, concluiu.