A Sonangol (Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola) vai prestar maior atenção à refinação de petróleo e distribuição deste e seus derivados, anunciou hoje (8), em Luanda, o Presidente do Conselho de Administração (PCA) da multinacional, Manuel Vicente.

"Vamos prestar atenção muito especial para a refinação e distribuição", disse Manuel Vicente, interpelado pela imprensa à saída do encontro de tomada de posse do novo Conselho de Administração da Sonangol.

Disse que durante o seu novo mandato, enquanto a refinaria do Lobito não for construída e para fazer face as necessidades do mercado, a petrolífera angolana vai expandir e melhorar a refinaria de Luanda assim como trabalhar com parceiros privados para a construção de uma nova.

Falando das despesas previstas pela empresa para os próximos tempos, Manuel Vicente deu a conhecer que, tendo em conta a baixa constante dos preços do crude no mercado internacional, serão feitos cortes nos custos dos investimentos para os adequar à situação actual.

"A nível dos investimentos temos que cortar custos, adequar as nossas despesas à situação actual, mas há despesas que não podemos adiar sob pena de o preço ser maior", sublinhou.

Sobre o baixo do preço do crude, o PCA da Sonangol referiu ainda que a "empresa vai rever os cronogramas de investimentos porque os preços podem chegar a níveis não sustentáveis para os investimentos previstos e isso começa o corte dos custos".

Questionado sobre como será a liderança de Angola na Opep em 2009 - uma vez que vai presidir a organização, o responsável afirmou que o país assumirá "o mandato numa altura muito difícil e que espera muito trabalho, e também da melhor contribuição para que o preço volta aos níveis aceitáveis".

Manuel Vicente fez também uma incursão à próxima reunião da Opep, a se realizar dia 17 de Dezembro na Argélia, e salientou que Angola vai aderir às decisões a serem tomadas pela organização, sendo uma delas (que se prevê) a redução da produção petrolífera.