A Sociedade Nacional de Combustíveis (Sonangol E.P), a operadora Cobalt e os parceiros do Bloco 20 realizaram uma nova descoberta no pré-salífero nas águas profundas angolanas.

Durante um teste realizado, o poço Lontra produziu um fluxo estável de 2.500 barris de condensado/dia e 39 milhões de pés cúbicos de gás em igual período.

O poço de exploração “Lontra” perfurou até uma profundidade total de mais de 4.195 metros e penetrou aproximadamente 67 metros de espessura útil, de um reservatório de muito boa qualidade.

A descoberta foi de um volume significativo de líquidos no intervalo de gás e um intervalo de petróleo bruto.

Para a avaliação do potencial do reservatório serão necessários mais poços de exploração e avaliação, assim como testes adicionais, estando no entanto claro divulgaçãodesde já, que o Lontra é uma descoberta à escala internacional e que o reservatório contém mais gás natural do que previsto.

Tendo como concessionária a Sonagol E.P, o bloco 20 tem como grupo empreiteiro a Cobalt com 40, a Sonangol Pesquisa e Produção e a BP ambas companhias com 30 por cento cada.

A concessionária nacional conforme os termos contratuais, está a estudar as melhores opções para o desenvolvimento e monetização do gás natural encontrado.

A presente descoberta e a anterior no campo Lira do Bloco 15/06 em “offshore”, reforçam as perspectivas animadoras quanto à exploração e o contributo do gás natural para a implementação da estratégia de desenvolvimento, ao criar uma fileira de industrialização e para o equilíbrio da matriz energética nacional.

Mais petróleo
Um encontro sobre manutenção e distribuição de combustíveis durante a quadra festiva, que visou tomar medidas profiláticas de uma forma consertada com as autoridades de inspecção de vários órgãos da província, para evitar qualquer alteração de preços dos derivados de petróleo, foi realizado esta semana, em Luanda.

No encontro, o secretário de Estado para inspecção e documentação do Ministério dos Petróleos, José Gualter Inocêncio, ressaltou que vão manter os produtos com os preços fixos, aumentar o controlo com todos os órgãos do Ministério do Comércio, Inadec, inspecção da Sonangol e do Ministério dos Petróleos, para que as famílias tenham acesso aos derivados do petróleo a preços baixo.

De acordo com o responsável, a polícia económica vai ser vigilante e dura no sentido de fazer cumprir a lei e os preços fixados e subvencionados pelo Estado.

O encontro, que foi orientado pelo secretário de Estado para inspecção e documentação, contou com a participação da Direcção Nacional de Comercialização e do Gabinete de Inspecção do Minpet, Polícia Económica e Sonangol Distribuidora.