A Comissão do Mercado de Capitais (CMC) decidiu, recentemente, suspender a comercialização de novas fracções no projecto imobiliário Boa Vida, em Luanda, pelo facto de a comercialização pública destes produtos ser objecto de validação deste organismo afecto ao Ministério das Finanças, situação não observada pelo promotor.
No caso em concreto, o projecto imobiliário oferecia contratos de investimento em fracções imobiliárias autónomas, destinadas exclusivamente à exploração hoteleira, oferecendo como retorno para o investidor, além de um direito de participação no investimento, uma remuneração periódica resultante da referida exploração comercial.
Ao que apurou o JE junto da Cmc, neste momento, o promotor está a conformar os processos às exigências legais, salvaguardando o direito dos investidores, a fim de que o retorno necessário se faça sem prejuízo de nenhum dos intervenientes nem fira o princípio estabelecido por Lei.
Como explicou a fonte, o facto de o promotor, para construir uma série de hóteis na urbanização, estar a vender fracções destes empreendimentos, dando como moeda de troca dividendos mensais e certa quota ao investidor accionista, obriga que o negócio seja validado pela Comissão do Mercado de Capitais (CMC), uma vez que a operação está a ocorrer fora da esfera bancária, transformando-se assim em valor mobiliário.

Canal no YouTube
A Comissão do Mercado de Capitais (CMC) lançou na quarta-feira (28) a sua mais nova plataforma digital de comunicação, o canal do YouTube denominado Cmc Angola.
Esta iniciativa, que faz parte do Programa de Educação Financeira da CmcC, visa aumentar os níveis de literacia financeira da sociedade, com maior enfoque no segmento juvenil, através da partilha de conteúdos didácticos, produzidos para o efeito, e vídeos de conferências e palestras organizadas pela Cmc.
Para Mário Gavião, presidente da CmcC, este lançamento representa mais um passo importante na estratégia da instituição que dirige, no que tange à promoção do Mercado de Valores Mobiliários em Angola, através da utilização de uma das mais importantes plataformas de difusão de conhecimento da actualidade.
“Com a criação deste canal de comunicação, pretendemos garantir que o acesso ao conhecimento na nossa sociedade sobre temas relacionados com o Mercado de Calores Mobiliários seja transversal e esteja à distância de um clique.”
Segundo o gestor da Cmc, o objectivo último do Programa de Educação Financeira é de alterar comportamentos, promovendo as melhores práticas de gestão de finanças pessoais e o aumento dos níveis de poupança privada e para o efeito a Cmc vai continuar a promover iniciativas que tenham como foco a vertente do conhecimento, bem como a vertente do comportamento.