De acordo com uma reportagem da Reuters, Taiwan suspendeu as exportações de petróleo refinado e de gás natural liquefeito (GNL) para a Coreia do Norte, assim como a importação de vestuário e têxteis, para cumprir com as resoluções das Nações Unidas, uma medida amplamente simbólica feita pela ilha para mostrar que é um membro responsável da comunidade internacional.
Taiwan, que escolhe seu próprio governo e controla suas próprias actividades, não é um membro das Nações Unidas devido à posição de Pequim que é simplesmente uma província chinesa e, sendo assim, não tem capacidade de ter seus próprios laços diplomáticos oficiais com ninguém.
Contudo, a orgulhosamente democrática Taiwan aprecia mostrar que segue as normas internacionais, apesar de sua falta de adesão às Nações Unidas.
No dia 11 de Setembro, o Conselho de Segurança das Nações Unidas intensificou, de forma unânime, sanções contra a Coreia do Norte em relação aos seu sexto e mais poderoso teste nuclear realizado em 3 de Setembro, impondo uma proibição sobre as exportações de têxteis da nação isolada e limitando as importações de petróleo bruto.