Os Títulos do Tesouro transaccionados na Bolsa de Dívida e Valores de Angola (BODIVA) nos três primeiros dias de Dezembro resultaram numa facturação de 12,01 mil milhões de kwanzas (24,4 milhões de dólares). A maturidade mais negociada foi ainda de 2020, cujo preço médio por OTXC situou-se nos 101,09 kwanzas. Dos valores evidenciados, 11.5 mil milhões de kwanzas foram obtidos em Ambiente Multilateral e outros 509 milhões de kwanzas no Ambiente Bilateral. Na semana passada, os dados a que o JE acessou dão conta que em Outubro o preço médio das Obrigações do Tesouro esteve cotado nos 102,74 kwanzas, enquanto que a mesma referência, em Novembro, fixou-se nos 101,01. Já as Obrigações não Reajustáveis (OTNR) em Outubro tiveram um preço médio de 85,36 e em Novembro 83,77 kwanzas. Em termos discricionários, no mês de Outubro, dos 76.966 milhões de kwanzas negociados, 972,5 milhões efectivaram-se no Ambiente Bilateral e os outros 75.994 milhões no Multilateral. Quanto às maturidades, 27.380 milhões de kwanzas foram captados em Títulos de 2020; 19,343 milhões nos de 2021, 14.711 milhões para os de 2022, 8.983 milhões, de 2024, e 6.165 milhões nos de 2023. Em termos de números de negócios mensais efectivados por membros, quem maior indicador registou, em Outubro, foi o Banco de Fomento Angola (BFA) ao totalizar 156. Tal resultado põe o banco com 1.860 lances no total deste ano. Todavia, foi o Millennium Atlântico com 42.503 milhões de kwanzas, contra os 34.567 milhões do BFA, quem mais facturou em negócios naquele mês. seguiram-se no top 7 o Sol, com 35.583 milhões posicionou-se na segunda posição, entre o Atlântico e o Fomento. O Banco Internacional de Crédito (BIC), em Outubro levou 12.039 milhões de kwanzas, de 21 negócios; o Banco Económico (BE) 10.319 milhões, de 23 negócios; o Banco de Negócios Internacional (BNI) surge com 8.943 milhões, de 24 negócios, e o Regional Keve com 4.156 milhões, de 24 negócios concretizados, no fecho do ranking dos sete mais de Outubro. Em termos de maturidade lançada, a de 2020 captou 25.040 milhões de kwanzas, 8.876 milhões de kwanzas para os títulos de 2023, 4.333 milhões de 2022, 3.633 milhões ficaram nas maturidades de 2021 e apenas 139,9 milhões vencem já agora em 2019. Os indicadores do mês de Novembro, por sua vez, demonstram ter sido o Standard Bank Angola (SBA) quem mais vantagens tirou dos negócios de Títulos ao ficar com 23.794 milhões de kwanzas dos 42.024 milhões negociados, no ranking dos sete (7). De acordo com o controlo, seguiram-se BAI com 12.269 milhões; Regional Keve, com 12.015 milhões e o BNI surge com 11.561 milhões. Há ainda, no top sete, o BFA com 9.949 milhões de kwanzas negociados, em Novembro, o Millennium Atlântico (BMA) com 8.950 milhões e o Económico que ficou com 3.831 milhões de kwanzas.