A Ango-Chi Shopping, localizado no município do Belas encerrado temporariamente por decisão do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC) e a Polícia Económica, devido à comercialização de produtos e serviços sem rotulagem em português,
vai reabrir dentro de dias.
O administrador executivo do CPPPN Lourenço da Costa disse ao Jornal de Angola que o centro comercial reabre com dois mil trabalhadores, empregados sob critérios da previdência, para ajudar as famílias de antigos agentes da Polícia Nacional.
A directora do Ango-Chi Shopping, Solange Rocha, declarou que, na nova fase marcada pela reabertura, o centro comercial pretende estabelecer uma oferta de bens e serviços com preços mais equilibrados, além de uma expansão que alarga
a outras nacionalidades.

Investimento
O centro comercial passou por uma remodelação que absorveu 18 milhões de dólares (três mil milhões de kwanzas), o que representa 120 mil metros quadrados de área coberta e 420 lojas e a expectativas de um tráfego de 30 mil visitantes por dia.
Informações indicam que 80 por cento das lojas disponíveis já estão arrendadas, ao preço do equivalente a 15 ou 20 dólares (2.500 ou 3.334 kwanzas) por metro quadrado.
O investimento da remodelação junta-se aos 30 milhões de dólares (cinco mil milhões de kwanzas) empregues na construção.
Solange Rocha realçou que, apesar do arrendamento ser o mais competitivo do mercado angolano, a percepção de que empreendedores podem não estar em condições de suportar os custos, criou-se um projecto de construção de tendas num espaço
de nove metros quadrados.