As bolsas norte-americanas fecharam o último dia do mês de Julho em alta, com os três principais índices a concluírem o quarto mês consecutivo de ganhos, naquela que foi a melhor prestação desde Fevereiro.
O Dow Jones valorizou 0,28 por cento para 21.891,4 pontos, tendo ao longo da sessão atingido um novo máximo histórico. No acumulado de Julho o índice valorizou 2,54, obtendo o melhor desempenho desde a subida de quase 5,0 por cento conseguida em Fevereiro. O S&P 500 fechou a subir 0,1 por cento e também ganhou terreno pelo quarto mês seguido. O Nasdaq conseguiu o mesmo feito apesar de hoje ter desvalorizado 0,42 para 6.348,12 pontos.
A Boeing foi a cotada que mais impulsionou o Dow Jones, com uma valorização de 0,53 por cento, depois do JPMorgan ter elevado a avaliação as acções da fabricante de aviões. As cotadas do sector energético também contribuíram, depois do petróleo ter invertido para ganhos, com o WTI em Nova Iorque a negociar mesmo acima dos 50 dólares pela primeira vez desde Maio. A Chevron avançou 1,14 por cento e a Exxon ganhou 0,65. A penalizar o Nasdaq estiveram vários pesos-pesados do sector tecnológico, com a Apple a cair 0,5 por cento antes de apresentar os resultados trimestrais, na sessão de amanhã após do fecho.
O Twitter cedeu 4,06 por cento,a Amazon.com caiu 3,18 e o Facebook desvalorizou 1,76. No sector, a sessão fica também marcada pelo novo mínimo histórico da Snap, que chegou a cair mais de 5,0 por cento para 13,10 dólares (23 por cento abaixo do preço do IPO).