Os resultados abaixo do esperado em algumas empresas asiáticas estão a aliar-se ao fecho negativo da bolsa de Nova Iorque, uma tendência que os futuros do S&P 500 indicam poder continuar hoje.

O índice regional MSCI Ásia Pacific perde 0,7 por cento para 136,03 pontos, caindo pela segunda sessão consecutiva, numa altura em que o Nikkei 225 da bolsa de Tóquio já encerrou a cair 1,1 por cento.

A maior fabricante mundial de câmaras fotográficas, a japonesa Canon, afundou 6 por cento na bolsa de Tóquio depois de adiantar que os resultados líquidos devem rondar os 2,6 mil milhões de dólares, em 2013. Em baixa, esteve também a Komatsu, que caiu 2,5 por cento depois de a norte-americana Caterpillar, que também opera no sector da maquinaria pesada, ter decepcionado os analistas com as suas projecções de lucros para 2013.

A pressionar está também ofecho negativo na bolsa de Nova Iorque na quarta-feira, uma tendência que poderá prolongar-se
hoje, sugerem os futuros do S&P 500, que caem 0,1 por cento. Decisivos serão os dados semanais do emprego e também as encomendas de bens duradouros de Junho, ambos a divulgar antes da abertura da bolsa.

A pesar na tendência esteve a prudência dos investidores, que travaram as compras, enquanto analisam os dados económicos
e os resultados das empresas, num contexto de especulação relativamente à data em que a Fed começará a retirar os estímulos
à economia.

O índice industrial Dow Jones fechou a perder 0,16 por cento, fixando-se nos 15.542,24 pontos, depois de ontem ter atingido um
novo máximo histórico.

Já o Standard & Poor’s 500 cedeu 0,4 por cento para 1.685,94 pontos.

O índice tecnológico Nasdaq, em contrapartida, somou 0,01 por cento para 3.579,60 pontos.

A Fed referiu recentemente que os dados económicos determinarão a altura em que começará a retirada dos estímulos à
economia, bem como o ritmo a que isso será feito. Bons dados económicos poderão fazer com que a Reserva Federal se decida
mais cedo a começar a reduzir a compra de dívida.

Um relatório hoje divulgado mostrou que as vendas de casas novas nos EUA aumentaram em Junho mais do que se previa, para
o nível mais alto de cinco anos.

Os investidores estão também atentos aos resultados trimestrais das empresas norte-americanas.

Até agora, das 169 empresas do S&P 500 que já reportaram resultados, 72 por cento superaram as estimativas de lucros feitas pelos analistas e 56 por cento excederam as projecções feitas pfeitas para asvendas, refere a Bloomberg.