Um bote telecomandado foi lançado ao mar são-tomense para recolher sons de cetáceos (baleias e golfinhos), numa operação conjunta das petrolíferas americana Komos Energy e britânica BP, visando a exploração de hidrocarbonetos na Zona Económica Exclusiva (ZEE) do arquipélago, soube-se de fonte oficial, em São Tomé.
Com capacidade de navegação de cinco milhas náuticas, a embarcação deverá recolher os sons dos dois marinhos cetáceos para determinar a sua movimentação.
“Trata-se de um trabalho de preparação para exploração. Temos que conhecer a vida dos golfinhos e baleias para que, quando dermos início às operações, não se atrapalhe esses animais”, disse Daniel Ndz Shirmboh, representante da BP, em São Tomé.
Segundo ele, é pela primeira vez que a sua empresa faz um estudo do género em São Tomé, devido à pequenez das ilhas e à sua importância para a economia são-tomense.
Daniel Shirmboh participa na campanha de sensibilização de cerca de cinco mil pescadores espalhados pelas diversas comunidades piscatórias do arquipélago.
Indicou que dados recolhidos pelos dois gravadores submarinos, em Julho deste ano, encontram-se actualmente no Canadá a serem tratados por uma equipa de especialistas. Shirmboh mostrou-se optimista quanto aos resultados finais, tendo em conta que, quando da retirada do gravador submarino, o mesmo se encontrava em pleno funcionamento. O estudo irá ajudar as instâncias turísticas a programar e promover a observação dos cetáceos no alto mar, disse.