O vice-primeiro-ministro congolês, responsável pela Função Pública, Reforma do Estado, Trabalho e Segurança Social, Firmin Ayessa, convidou os países africanos a juntarem-se aos Estados signatários da Carta Africana do Turismo sustentável e responsável, assinada em 2016, em Marraquexe, em Marrocos.

Trata-se, segundo Ayessa, de um instrumento que oferece a África "uma grande oportunidade" na utilização sustentável dos seus recursos naturais e culturais para fins de exploração turística.

Firmin Ayessa falava há dias, na abertura, em Brazzaville, da primeira edição da Caravana da Carta Africana do Turismo sustentável e responsável.

Esta Carta oferece um quadro consensual de concertação para todos os Africanos, com vista a sensibilizar os turistas internacionais, as comunidades anfitriãs, os prestadores de serviços e os poderes públicos. Ela permite criar estratégias de um turismo sustentável e responsável, que respeita as culturas e tradições.

"O que pode contribuir para a atracção de um destino turístico pode desaparecer sob o efeito da frequência não controlada e potencialmente destruidora do ambiente e das sociedades impactadas", sublinhou Ayessa.