O ministro do Ambiente anunciou esta semana que será construído um oleoduto para abastecer o aeroporto de Lisboa, que aproveitará uma conduta de água existente, num investimento de cerca de 40 milhões de euros para estar concluído em 2021.
“Vai ser construído, aproveitando a conduta do Alviela, da EPAL, que passa tangente à CLC (Companhia Logística de Combustíveis, em Aveiras) e vai até dois a três quilómetros do aeroporto de Lisboa. Está neste momento a ser desactivada”, afirmou João Pedro Matos Fernandes, que está a ser ouvido na comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas.
Este oleoduto estará construído até finais do primeiro semestre de 2021, e representa um investimento de quase 40 milhões de euros, acrescentou o governante.
A questão do abastecimento do aeroporto de Lisboa por oleoduto (o do Porto, o Francisco Sá Carneiro, já o é) passou a estar na ordem do dia no passado mês de Abril, quando uma greve dos motoristas de pesados de matérias perigosas paralisou o país durante dias.
Em resposta dada em Abril ao Observador, a ANA defendeu o interesse em que as empresas petrolíferas estudassem esse projecto. Mas a CLC (Companhia Logística de Combustíveis) e as petrolíferas que são as suas accionistas — nomeadamente a Galp que é a maior — mantiveram silêncio sobre o tema.