As duas maiores economias de África, a África do Sul e a Nigéria, anunciaram em 2017 o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre do ano, após vários meses em recessão.
Ainda assim, vários especialistas consultados na altura pela agência France-Presse consideram que as perspectivas eram mais preocupantes
no caso da economia nigeriana.
“Enquanto o crescimento sul-africano está com tendência ascendente, a situação na Nigéria continua muito frágil”, considerou John Ashbourne, economista da Capital Economics para o continente africano.
Os resultados da economia nigeriana, apesar de uma subida do PIB de 0,55%, foi a primeira vez em mais de um ano. A produção do crude da Nigéria, o maior produtor do continente, a par de Angola, mantém em 1,84 milhões de barris por dia.