A África do Sul registou um crescimento económico de dois porcento, durante o terceiro trimestre de 2017, anunciou nesta terça-feira, a Agência nacional de estatísticas (STATSSA), citada pela AFP. Trata-se do segundo trimestre de crescimento consecutivo e da alta do Produto interno bruto (PIB), após a recessão registada no princípio do ano em curso.
Esse crescimento, registado durante o período em referência, de acodo com a Agência, teve impacto nos sectores da agricultura e minas.
O sector da agricultura conheceu um crescimento de 44,2 por cento. A colheita do milho foi a mais importante jamais registada no país, por causa das abundantes chuvas que caíram nas regiões agrícolas. O aumento da produção de ouro e da platina permitiu também ao sector mineiro registar um crescimento de 6,6 porcento.
Todavia, a economia sul-africana continua a oscilar no crescimento, pois há vários anos, o país apresenta uma taxa de desemprego galopante, com 27,7 porcento da população sem emprego.
Recentemente, o ministro das Finanças, Malusi Gigaba, reviu em baixa as previsões de crescimento de 2017, de 1,3 porcento para 0,7porcento.
No início de Novembro, duas agências de notação financeira desvalorizaram de novo a moeda sul-africana, vitima das suas performances económicas e de um clima político menos salutar.